Grupo Charrua, do Rio Grande do Sul, usa veículo no transporte de combustíveis

Crédito: Fotos Scania, Divulgação

Passado o primeiro ano da abertura do recebimento de encomendas, a Scania fecha 2020 com a venda superior a 50 caminhões movidos a GNV e ou biometano. Uma parte já entrou em operação e outra ainda será entregue. A solução, no entanto, continua a chamar a atenção de embarcadores e transportadores de todos os tamanhos.

Os primeiros 50 caminhões foram comercializados para transportadoras que atendem a embarcadores de diferentes indústrias, desde cosméticos a alimentos, como L’Oréal, PepsiCo, Unilever e Carrefour. “Os embarcadores que demandam essa alternativa ao diesel têm compromissos públicos com a sustentabilidade e o transportador sai na frente ao oferecer soluções que correspondam a esta expectativa”, afirma Roberto Barral, vice-presidente das Operações Comerciais da Scania no Brasil.

A abertura das encomendas da linha a gás ocorreu no primeiro dia da 22ª edição do Salão Internacional de Transporte Rodoviário de Cargas (Fenatran), realizada de 14 a 18 de outubro de 2019, em São Paulo. “As 50 unidades vendidas constituem um marco histórico para o mercado brasileiro, que necessita mudar sua matriz energética para combustíveis mais sustentáveis”, acrescenta Silvio Munhoz, diretor de Vendas de Soluções da Scania no Brasil.

O maior lote de vendas, até o momento, com 11 unidades, foi para a TransMaroni, para o transporte de carne para a JBS e de produtos do Centro de Distribuição do Carrefour, em São Paulo, para as lojas do grupo. A maior frota em circulação, com 18 caminhões, é da PepsiCo, uma das líderes mundiais no segmento de alimentos e bebidas.

A RN Express, que encomendou o primeiro modelo, já tem sete unidades em uso no transporte de produtos da L’Oréal, Nestlé e Nespresso. A Jomed LOG, que junto com a RN recebeu as primeiras unidades, em maio, opera cinco veículos com a mesma finalidade. A L’Oréal inspirou outras duas transportadoras que prestam serviço para a marca francesa de cosméticos: a CCL e a Coopercarga adquiriram um unidade cada.

A Unilever terá três caminhões levando sua carga. As aquisições foram feitas pelas transportadoras Transtassi (dois) e Carsten (um). A conta dos 50 caminhões fecha com uma unidade para o Grupo Charrua e de outras três empresas que ainda não autorizaram divulgação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here