Utilitários Mercedes / Foto: Divulgação

Os empreendedores, pequenos, médios e grandes, impactam a vida de muitas pessoas. Seria uma lista longa de pessoas para descrever, mas como o assunto neste site é transporte, vamos falar deste segmento.

Jefferson Ferrarez é o diretor de vendas e marketing de vans (linha Sprinter) Mercedes-Benz e logo você vai entender o que o empreendedor tem a ver com isso.

Jefferson Ferrarez convidou um grupo de poucos jornalistas na fábrica da empresa, em São Bernardo do Campo (SP), porque queria contar como o mercado no qual ele trabalha está reagindo no Brasil.

Jefferson Ferrarez, diretor de vendas e marketing de vans da Mercedes-Benz do Brasil

As vendas de veículos conhecidos como utilitários cresceram muito mais do que estava planejado e isso o assustou. Errar planejamento acontece, mas em um percentual muito grande não é muito comum. É um erro que não mata, mas deixa as pessoas pensativas, neste caso felizes, porém também elas podem ficar com a sensação de que se perdeu oportunidades e de que deixou o cavalo arriado para os concorrentes.

Pois é, quem não se programou para produzir furgões, vans e chassi cabine suficientemente (sei que é complexo a logística de manufatura) mandou o transportador buscar a solução para a necessidade dele no vizinho, mesmo que a qualidade não seja a mesma. Sobre isso, conhecemos uma fabricante que liderava o segmento mas resolveu cuidar de outras prioridades e deixou o mercado, retornando dois anos depois.

Vi acontecer também no mercado de caminhões pesados, que vem crescendo mais do que as fábricas conseguem atender, e agora, o que o Jefferson Ferrarez veio nos contar é o que está acontecendo no segmento de utilitários de 3.500 kg a 5.000 kg de PBT (Peso Bruto Total), com crescimento de 77% no primeiro semestre de 2019. A previsão era de que este crescimento seria, inicialmente, de 25%. Lógico que os 77% refletem a comparação dos seis primeiros meses de 2019 com o mesmo período de 2018, quando o mercado ainda estava em depressão. No ano passado, a retomada do mercado ocorreu no segundo semestre e, por isso, acredita-se que no final o percentual de crescimento fique nos 40%. É motivo para abrir um bom champagne, ou uma cerveja, um copo de água, como preferir.

Neste ano, a fábrica que a Mercedes-Benz tem na Argentina, próxima a Buenos Aires, dedica 85% dos esforços para fabricar Sprinter (nas versões chassi cabine, furgão e vans de passageiros) para mandar para os brasileiros que estão investindo em novos negócios, seja um comércio, transporte de passageiros, entregas de cargas etc. Parte da demanda vem também de frotistas que querem veículos novos por serem mais eficientes e estão confiantes que poderão pagar as prestações.

Para um País que chora a crise econômica dos últimos anos, vender 15,5 mil unidades em seis meses desses utilitários é muito signiificante. A felicidade de Jefferson Ferrarez e toda a sua equipe, concessionários etc., é de que a Mercedes-Benz foi responsável por 34,9% de todo esse volume. A marca é líder do segmento há dois anos e está confiante de manter a posição no final de 2019. O volume restante foi entregue pelas marcas Citroën, Peugeot, Renault, Fiat e outras. Para nós, transportadores e jornalistas, o melhor é que a concorrência trabalhe para que seja uma competição saudável com ofertada de produtos modernos e preços justos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here