Com a melhora das atividades industrial, comercial e agrícola, o mercado de caminhões vem experimentando seu melhor ano desde 2014. No mês passado foram emplacadas 11.488 unidades e, no acumulado deste ano, o mercado contabiliza 69.535 licenciamentos. Seguindo neste ritmo, o setor vai fechar este ano com resultados superiores a 2019 e já entrar 2022 de maneira acelerada. Além da demanda, que está aquecida, quem pode está renovando a frota agora para já tentar fugir de preços bem mais altos que virão em 2023 quando todos os novos caminhões necessariamente terão que atender às novas regras ambientais.

BIG FIVE 

No acumulado de vendas deste ano, a Mercedes lidera todo o setor de caminhões com 30,56% seguida de perto pela Volkswagen Caminhões e Ônibus que tem 28,95% de participação no mercado. As duas marcas juntas respondem por pouco mais da metade dos caminhões vendidos no Brasil. A Volvo vem na terceira colocação com 16,33%, a Scania na quarta posição com 12,90% e a Iveco em quinto lugar com metade das vendas da Scania, ou seja, 6,25%.

Briga acirrada nos pesados  

Os pesados representam o segmento onde se concentra a maior parte das vendas de caminhões no País. Neste ano, 51,38% dos caminhões novos emplacados foram estradeiros. O setor vem crescendo nos últimos anos em função, especialmente, da expansão do agronegócio que, a cada ano, precisa de mais e mais caminhões para escoar a safra. Neste segmento o caminhão mais vendido é o Volvo FH 540 com 4.741 unidades emplacadas de janeiro a julho deste ano, ficando com 13,27% do segmento.

O R 450 da Scania fica em segundo lugar entre os mais vendidos e, no acumulado deste ano, emplacou 4.064 unidades ficando com 11,38% deste mercado. E na terceira posição vem o DAF XF, agora renovado, que, neste ano, tem 2.982 unidades comercializadas com 8,35% de share neste segmento. Uma surpresa e tanto considerando que marcas como Scania, Volvo e até Mercedes são tradicionais e fortes neste negócio com pesados.


Semi-pesados sem surpresas 

O outro segmento sempre registrou número expressivo de vendas é o semi-pesados. Esse segmento responde, neste ano por 26% dos emplacamentos totais de caminhões. E aqui quem domina, há anos, e com tranquilidade, é o VW Constellation 24.280. De janeiro a julho foram 2.374 modelos emplacados mordendo 13,11% deste segmento. A segunda colocação é do MB Atego 2426 com 1.617 unidades vendidas e share de 8,93% deste segmento. E na terceira posição, colado no Atego, vem o Volvo VM 270 com 1.516 emplacamentos e 8,37% de participação no segmento.

 

Médios: domínio absoluto da Volks

Nos caminhões médios, segmento que responde por 8,84% das vendas de caminhões no País, só dá Volkswagen entre os três modelos mais vendidos. Tudo Delivery. O primeiro lugar é o modelo 11.180, com 3.269 emplacamentos neste ano, representando 54,86% do segmento. Na segunda colocação vem o modelo um pouco maior, o 14.190, com 640 veículos vendidos no período e 10,74% de participação e, em terceiro, o 13.180 com 596 caminhões vendidos e 10% de share.

 

 

Nos leves briga entre Volks e Mercedes 

Os leves representam 9,20% das vendas totais de caminhões no Brasil. Este segmento a Volks também domina com o Delivery 9.170, com 2.088 emplacamentos neste ano e 32,64% de share. A segunda colocação é do Accelo 1016 com 1.983 veículos vendidos e 30,99% de participação no segmento. E a terceira posição também é Mercedes-Benz com o Accelo 815 emplacando 1.427 unidades neste ano e ficando com 22,30% deste mercado.

 

 

Semi-leves só dá Sprinter 

O menor segmento, os semi-leves, tem representação pequena no mercado total de caminhões: apenas 4,85% das vendas. Esse segmento é dominado pelas Sprinter. O modelo 416, com 1.727 unidades emplacadas neste ano, abocanha 51,89% deste pequeno nicho. E a Sprinter 516, com 633 emplacamentos, fica com 19,02%. Na terceira posição vem o Delivery 6.160 com 251 unidades vendidas até julho deste ano e 7,54% de share.

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here