Grupo JCA renova frota com 271 novos veículos e ano que vem começa a operar com um rodoviário a gás da Scania.

O Grupo JCA espera ter um aumento de 40% em viagens de ônibus no último trimestre deste ano, mantendo a retomada gradual em 2022. O otimismo é por conta do avanço da vacinação no País (mais de 50% da população já tomou ao menos uma dose até meados de outubro) e a observação de um PIB positivo perto de 5%. Em parceria com a Scania, o grupo anunciou que vai começar a operar com um ônibus movido a gás (natural e/ou biometano), com previsão de início no primeiro semestre de 2022.

Composto pelas empresas de ônibus rodoviários Catarinense, Cometa, 1001, Expresso do Sul e Rápido Ribeirão, o grupo adquiriu 271 novos ônibus neste ano. “Deste total, 159 veículos são chassis Scania”, comenta Gustavo Rodrigues, diretor-presidente do Grupo JCA.

Atualmente, o grupo tem uma frota de cerca de 2,4 mil ônibus, divididos entre as operações rodoviárias, de fretamento e de transporte urbano das Viações Cometa, 1001, Catarinense, Rápido Ribeirão, Expresso do Sul, Opção Fretamento & Turismo, SIT Macaé e Macaense, além da BUSLOG, frente logística da organização.

Os ônibus do Grupo JCA atendem mais de 60 milhões de clientes de 400 localidades entre as regiões Sul e Sudeste do país. No primeiro semestre de 2021, foram feitas mais de 148 mil viagens considerando apenas o transporte de passageiros e, entre janeiro e setembro deste ano, foram transportadas mais de 9 mil toneladas em encomendas.

Os novos ônibus contam com o sistema ADAS (Advanced Driver Assistance Systems. O sistema pode acionar a frenagem de emergência avançada, além de medir a distância e a velocidade relativa de qualquer veículo na pista, para intervir e evitar acidentes. Também ajuda o condutor a manter um intervalo de distância constante em relação ao veículo à frente e avisa o motorista quando o ônibus sai de forma involuntária das faixas de rolagem, por meio da vibração da poltrona.

“Para nós é sempre um orgulho participar do profissional processo de compras do Grupo JCA, um dos maiores clientes de ônibus da Scania no mundo. Neste ano, fechamos 159 chassis, quase 60% do negócio total do cliente. Estamos participando ativamente das renovações e ampliações da frota das empresas comprovando a força da nossa parceria, pois nos últimos oito anos já vendemos 837 chassis para o Grupo”, afirma Silvio Munhoz, diretor de Vendas de Soluções da Scania no Brasil.

“O que reforça a importância de mais esta venda é que a JCA escolhe os produtos de forma racional e baseada em resultados financeiros e satisfação dos passageiros. E assim seguimos cumprindo nossas promessas de marca oferecendo rentabilidade, menor custo total operacional, segurança, conforto e disponibilidade em nossos produtos.”

Dos 159 chassis, 115 unidades são do modelo K 360 4×2 e outras 44 do K 440 8×2, equipados, além do ADAS, com freio auxiliar Scania Retarder, o que aumenta ainda mais a segurança. Todos estarão conectados com o pacote Análise para gestão inteligente dos dados gerados nas viagens.

O início da retomada do mercado de ônibus rodoviários anima a Scania e intensifica a parceria com os clientes para o setor ficar mais fortalecido. “Estão voltando as procuras dos clientes para efetivar compras e planejar entregas para o ano que vem. É um processo gradual que deverá permanecer ao longo de 2022. Imaginamos que uma recuperação efetiva do setor ainda leve pelo menos dois anos”, salienta Munhoz. “Em nenhum momento deixamos de estar ao lado dos clientes com o apoio da nossa Rede e das Soluções Financeiras Scania. Admiramos empresas como o Grupo JCA que renovaram as frotas na pandemia e agora saem na frente nesta retomada do mercado com produtos de maior conforto para os passageiros.”

Em relação à demonstração com o ônibus a gás (natural e/ou biometano), o modelo escolhido é o K 320 4×2. Ele vai rodar numa rota rodoviária, a ser definida, pelo estado de São Paulo, com previsão de início no primeiro semestre de 2022. O seu motor é Ciclo Otto (o mesmo conceito dos automóveis) movido 100% a gás natural e/ou biometano, ou mistura de ambos. Não é convertido do diesel para o gás, tem garantia de fábrica, tecnologia confiável e desempenho consistente e força semelhante ao diesel, além de ser mais silencioso. A segurança é total em caso de acidentes ou explosão. Os cilindros e válvulas são certificados pelo Inmetro (em conformidade com a lei). Em caso de incêndio ou batida, o gás é liberado para a atmosfera e se dissolve sem perigo de explosão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here