CARREGAR MAIS

Iveco Bus aposta em seu chassi 170S28 para crescer no Brasil

17/09/2015 01h01
 

Já faz um ano que a Iveco Bus chegou ao Brasil. Neste mês de setembro, a empresa celebra suas primeiras conquistas no competitivo mercado de ônibus nacional obtidas com o seu principal produto do portfólio: o chassi 170S28. De acordo com números da Anfavea, entre janeiro e setembro deste ano, a empresa vendeu 895 unidades, ante as 406 de igual período no ano passado. Tal desempenho a coloca em quarto no ranking de vendas de 2015, atrás de Mercedes-Benz (6.300 ônibus vendidos), MAN (2.639) e Agrale (1.706).

Humberto Spinetti, diretor de Negócios de Ônibus da Iveco Bus para a América Latina, aponta que o consumo reduzido de combustível do chassi vem conquistando frotas pelo País afora: “Por ser confiável e mais econômico que seus principais concorrentes diretos, o chassi tem sido fundamental para o nosso crescimento", afirma o executivo.

Desenvolvido e fabricado no complexo industrial da Iveco em Sete Lagoas (MG), o 170S28 atende o segmento de 17 toneladas. Disponível em duas versões, urbano e fretamento, o veículo tem seu ponto forte no baixo custo operacional.

Hoje, o chassi já roda em empresas do Espírito Santo, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Amapá, Rondônia, Santa Catarina, Bahia e São Paulo. Uma delas é a Capital do Agreste, de Caruaru, que adquiriu oito unidades do modelo.

“Na Europa a Iveco Bus já detém uma parcela importante do mercado de ônibus, com uma proporção de um veículo para cada cinco rodando. Acreditamos que o primeiro ano em operação no Brasil indica que, investindo no melhoramento contínuo dos produtos e no incremento do nosso portfólio, vamos repetir esse sucesso no país”, completa Spinetti.

Downspeeding

A força e os grandes resultados de consumo de combustível do modelo da Iveco Bus devem-se ao motor N67, da FPT Industrial, com seis cilindros em linha. O propulsor de 6,7 litros, com sistema SCR, é capaz de gerar potência máxima de 280 cavalos. O torque chega a 950 Nm, já disponíveis na faixa de 1.250 a 1.950 rpm.

Pensando no resultado para o cliente, a FPT desenvolveu o N67 com o grande desafio de tornar um motor mais eficiente sem abrir mão de desempenho. A resposta foi a conceituação baseada no downspeeding, que pode ser descrito como fazer um motor operar a baixas rotações com torque elevado. Os principais resultados foram a maior eficiência e a redução do consumo de combustível, além de maximizar a vida útil do motor.

Desenvolver um veículo de transporte de passageiros envolve tecnologia avançada para garantir conforto e bem-estar a bordo. O chassi 170S28 foi projetado também com esse objetivo. A transmissão utilizada é manual, de seis marchas, com escalonamento compatível com as operações urbanas e rodoviárias. O sistema permite uma condução mais suave e melhor desempenho operacional.

 
LEIA TAMBÉM