CARREGAR MAIS

Respostas eletrizantes para pesados e médios

11/10/2018 04h17 Atualizado em 11/10/2018 13h26
 

Por Redação Transpodata

redacao@transpodata.com.br

A mudança para um sistema de transporte totalmente eletrificado já está em andamento. O número de carros elétricos registrados aumentou em 280% no Reino Unido nos últimos quatro anos, de acordo com o relatório da Hitachi. A cidade chinesa Shenzhen tem 16.359 ônibus elétricos - uma transição que começou em 2009 incentivada por uma queda de 80% no custo de baterias de íons de lítio. De acordo com a Bloomberg New Energy Finance, a necessidade da China por baterias de ônibus elétricos é quase igual à de toda a demanda global de baterias EV. Pode-se dizer que a China está liderando o mercado.

Os VEs são, sem dúvida, mais limpos quando se trata de poluição nos centros urbanos. No entanto, o aumento exponencial dos VEs só beneficiará a luta contra as alterações climáticas se os sistemas energéticos dos países continuarem a descarbonizar. Os veículos livres de emissões precisarão ser alimentados predominantemente por eletricidade de baixo carbono para que um futuro mais elétrico seja sustentável.

A vantagem econômica da eletrificação

A poluição do ar e as emissões de gases de efeito estufa são a principal força motriz por trás de muitos regulamentos anti-combustíveis fósseis. Pesquisas sugerem que os sistemas de transporte por descarbonização também têm vantagens econômicas para as empresas.

Um relatório da Hitachi Capital concluiu que a troca de vans e veículos pesados por combustíveis elétricos ou outros combustíveis alternativos poderia salvar as empresas britânicas em até 14 bilhões de libras esterlinas por ano.

O futuro das baterias na agricultura

No campo, os EVs estão fazendo sucesso na agricultura. A John Deere revelou planos para tratores totalmente elétricos, alegando que eles exigem menos manutenção e têm um ciclo de vida mais longo do que os motores a combustão.

Com mais de um terço das fazendas do Reino Unido gerando sua própria energia a partir da gestão solar, eólica e até mesmo anaeróbica usando subprodutos agrícolas, há potencial para os agricultores que utilizam os tratores de forma renovável, reduzirem seus custos de combustível.

Mais do que apenas ajudar a reduzir as emissões e os custos, também pode haver benefícios de desempenho. Dadas as suas capacidades de aceleração, os tratores eléctricos se adaptam bem ao campo sem acelerar os motores ou prejudicar o solo.

Serviços de Emergência

Nos serviços de emergência, a resposta rápida é vital. Os VEs são candidatos ideais para o fornecimento - especialmente, à medida que a tecnologia de bateria se torna mais confiável e durável.

Os serviços de saúde em Nottingham já testaram veículos movidos a eletricidade, enquanto no Japão, a Nissan mostrou uma ambulância totalmente elétrica que transporta uma bateria auxiliar de íons de lítio para alimentar equipamentos médicos a bordo.

Esta fonte de alimentação a bordo é mais uma vantagem dos VEs e não apenas restrita aos serviços de emergência. A fabricante de caminhões elétricos Havelaar, por exemplo, oferece tomadas elétricas em seu veículo Bison para ferramentas elétricas.

O veículo pesado da Tesla (HGV) destaca a capacidade crescente de veículos elétricos para entregas não apenas em centros urbanos. Elon Musk alega que o Semi poderá percorrer até 800 km com uma única carga, o suficiente para ir de Londres a Edimburgo, rebocando 40 toneladas de carga.

A Tesla não é a única a ter conceitos de grandes plataformas elétricas - a Thor Trucks , a Daimler e a Volkswagen , de Los Angeles, revelaram metas ambiciosas de produção para 2019.

Apesar da mídia alegar que a capacidade de mega carregamento do Semi vai contra as leis da física, o negócio de Elon Musk está tendo aceitação no mercado. O Walmart, que vem dando passos largos para reduzir suas emissões, já encomendou 15 unidades do Semi e a UPS encomendou até agora 125.

A Volvo Trucks lançou caminhões 100% elétricos para uso urbano e em operações de coleta de lixo, para redução de ruídos e zero emissão de poluentes. Além disso, como os veículos são mais silenciosos, será possível realizar operações noturnas em áreas com restrição de ruídos, o que pode contribuir para a redução de congestionamentos. Os modelos Volvo FL e FE Electric começarão a ser comercializados na Europa no ano que vem e ainda não têm data para chegar ao Brasil. Eles têm capacidade para transportar de 16 a 27 toneladas de cargas e possuem autonomia de até 300 km.

O professor David Bailey, especialista em automóveis da Universidade de Aston, disse que isso é um indicativo da aceleração da mudança para o sistema elétrico e um sinal de que a indústria está realmente começando a se mover para tornar os elétricos em mainstream.

“Em meados da década de 2020, espero que haja um ponto de inflexão em que o carro elétrico comece a ultrapassar o motor de combustão interna. É assim que as coisas estão caminhando".

Embora, globalmente, o carvão ainda seja responsável por cerca de 40% da geração de eletricidade e pelo gás em torno de 21% , países como o Reino Unido estão investindo em quantidades significativas de energia renovável Um quarto das emissões de carbono do Reino Unido são provenientes do transporte rodoviário.

 
LEIA TAMBÉM