CARREGAR MAIS

Transpodata News - MAN mais forte para brigar pela liderança

07/06/2018 13h38 Atualizado em 07/06/2018 13h41
 

Por Ana Paula Machado

ana.machado@transpodata.com.br

Depois de entrar no segmento de caminhões leves, a MAN Latin America vê nesse mercado uma grande oportunidade para voltar à liderança de mercado. Roberto Cortes, presidente da companhia, disse que o modelo que está sustentando o crescimento da marca este ano no país é a linha Delivery, que agora, conta com um veículo para transporte de até 3,5 toneladas.

“Este mês começamos a vender esse carro que é dedicado ao transporte urbano e à entrega de mercadorias do comércio eletrônico. Com isso, acreditamos que esse caminhão para esse segmento será um dos campeões de venda dessa linha”, disse Cortes acrescentando que este ano a montadora está crescendo suas vendas acima do mercado brasileiro.

De janeiro a abril, segundo ele, a empresa apresentou aumento nos licenciamentos de 78% e as montadoras de caminhões instaladas aqui elevaram o volume de veículos emplacados em 60%. “Estamos percebendo esse crescimento do mercado e não é somente nas vendas no quadrimestre. Esse movimento é sentido nas vendas diárias. Nossa experiência mostra que quando há uma queda no mercado tão expressivo como nos últimos anos, a retomada também é rápida”, afirmou o executivo.

Segundo ele, em 2017, a venda diária em janeiro era de 154 caminhões, passou para 156 veículos em fevereiro, 218 em março e 231 em abril. Neste ano, os licenciamentos por dia já foram de 246 caminhões em janeiro, 258 em fevereiro, 332 em março e outros 338 em abril. “É um crescimento mês a mês. E isso deve se sustentar no decorrer do ano. Acreditamos que teremos um mercado beirando os 20% de crescimento em 2018. Estimávamos um aumento entre 10% a 20% mas, com números mais próximos de 10%. Com tudo isso e a entrada em um segmento que não estávamos acreditamos que vamos ganhar participação no mercado brasileiro”, ressaltou Cortes. Hoje, a MAN é a segunda no ranking atrás da Mercedes-Benz. Até 2015 a montadora era a líder de vendas no Brasil.

2º Turno – Cortes disse que a montadora está avaliando o mercado tanto interno como o argentino, para tomar a decisão da abertura de um novo turno de trabalho. Hoje, a MAN opera com um intervalo na produção, mas usa uma hora extra todos os dias, além de utilizar também os sábados para dar conta da demanda crescente por caminhões no Brasil.

“Estamos monitorando o mercado. Com os volumes que imaginamos para o Brasil, as medidas de flexibilização da produção que adotamos é suficiente para atender essa demanda. Para se ter uma ideia, aumentamos a velocidade da linha em 10%. Outro aspecto que deve ser considerado, é a Argentina. A elevação dos juros de 28% para 40% dificulta a tomada de financiamento pelos clientes. Além disso, a desvalorização do peso torna o nosso produto mais caro. Se essa situação persistir por lá, teremos que tentar driblar a crise com medidas subsídios nas nossas taxas de juros ou descontos em nos caminhões”, disse Cortes acrescentando que a Argentina é o principal destino de seus veículos, 30% das exportações. No ano passado, a MAN embarcou 40% de sua produção no Brasil.

 
LEIA TAMBÉM