Há luz no fim do túnel

 

O novo VM 330 6x4, com capacidade para 32 toneladas, foi inteiramente desenvolvido no Brasil em tempo recorde: um ano. A Volvo não quer perder tempo. Com um olhar aguçado e atento a qualquer sinal de retomada de crescimento econômico no Brasil, Bernardo Fedalto, diretor de caminhões da Volvo no País, acredita que se alguma coisa melhorar vai acontecer a partir de setembro e o primeiro sinal “virá da necessidade urgente de se fazer obras de infraestrutura”.

Para não perder nenhuma oportunidade, a Volvo tratou de desenvolver um produto exclusivamente para atender as demandas do setor de construção civil no Brasil e América Latina. O novo VM leva 5,3 toneladas a mais que sua versão anterior e, para ter mais chances de brigar neste nicho, o produto foi cuidadosamente desenvolvido para ser uma tonelada mais leve que seus concorrentes diretos, “sem, contudo, comprometer em nada sua principal característica: a robustez”, diz Álvaro Menoncin, gerente de engenharia de vendas da Volvo América Latina.

Bernardo Fedalto

O segmento vocacional da construção representa 12% das vendas do semipesado VM e, no mercado total de caminhões, este nicho responde por cerca de 6% das vendas totais de caminhões. O que dá um volume anual de aproximadamente 900 unidades.

De acordo com Fedalto, a Volvo não tinha produtos para competir neste nicho específico e agora, com o VM 6x4 para 32 toneladas, tem produto e quer, até o primeiro semestre do ano que vem ter 10% de share neste negócio. Traduzindo em números: a expectativa é vender cerca de 100 unidades por ano. “Neste ano nossa intenção é demonstrar as qualidades deste novo produto ao maior número possível de empreiteiras”, afirma Fedalto. Questionado sobre as dificuldades financeiras das grandes empreiteiras envolvidas com esquemas de corrupção, o executivo disse que, no Brasil, há centenas de empreiteiras de médio porte que são capazes de tocar grandes obras. “Obras de infraestrutura precisam ser feitas e há muitas empreiteiras habilitadas no País para tocar estas obras”.

A Volvo faz uso de um grande espaço na própria fábrica, a Casa do Cliente, para demonstrar seus novos produtos a potenciais compradores. De acordo com Fedalto, uma pista off-road foi especialmente criada para demonstrar as qualidades do novo produto, dinamicamente, a cerca de 250 empresários do setor de construção civil. O novo caminhão tem preço sugerido de 285 mil reais e, para este ano, uma versão do produto, mais alongada, será apresentada ao mercado para atender o segmento de transporte de madeira.

Rogerio Kowalski

Lojinha na fábrica

Se a crise econômica atingiu em cheio o mercado de caminhões novos derrubando as vendas em mais de 60%, o mesmo não aconteceu com os negócios com caminhões usados.

O setor segue firme com vendas anuais de 300 mil unidades, número exatamente igual aos áureos tempos dos anos 2010 a 2014 quando as vendas anuais de novos chegaram ao pico de 170 mil unidades. “O mercado de caminhões usados no Brasil se mantém estável e há muitas oportunidades”, diz Rogério Kowalski, gerente de seminovos da Volvo.

Por esta razão a Volvo resolveu instalar um show room para venda de usados ao lado da portaria principal de sua fábrica, em Curitiba, na avenida Juscelino Kubitscheck, 2600, no bairro Cidade Industrial. A nova estrutura funcionará durante o horário comercial e terá sempre em exposição quatro caminhões da grife Viking. No local, os interessados poderão conhecer os veículos e receber informações técnicas e comerciais.

A Volvo está neste negócio há 18 anos quando lançou seu programa Viking que é a venda de caminhões usados que foram negociados em sua rede de revendas na troca por novos ou, ainda, comprados para revenda mesmo.

De acordo com Kowalski, o programa oferece garantias que vai de 3 meses a um ano, dependendo de como foi feito o negócio. “Se é para vender o caminhão no estado, damos a garantia de lei, que é três meses. Se fazemos uma revisão Volvo, damos garantia de seis meses e, se trocarmos peças podemos dar garantia de até um ano”. Usados do programa Viking com garantia de um ano têm preço, em média, 10% acima da tabela.

Atualmente, boa parte das vendas de usados do programa Viking é viabilizada pelo site www.seminovosvolvo.com.br. “São aproximadamente 100 mil acessos e mais de 1 mil contatos mensalmente, seja pelo próprio site ou pelo telefone 0800 643 4443”, diz Kowalski, ao lembrar que o site disponibiliza mais de 200 modelos de caminhões seminovos da Volvo e também de outras marcas.

 
LEIA TAMBÉM