Quando o menos vira mais

 

Terceira maior implementadora do Brasil, a Librelato aposta suas fichas na Fenatran 2015 para apresentar seus principais lançamentos para o próximo ano. Aloir Librelato, presidente do conselho, junto com seu CEO, José Carlos Spricigo, entenderam bem crise atual e botaram a engenharia da empresa para trabalhar no seguinte meta: para um mercado retraído a saída seria oferecer carretas mais eficientes. O resultado foi uma significativa redução de peso na nova geração de implementos e utilização de materiais mais nobres capazes de prolongar a vida útil dos equipamentos.

A empresa investiu 18 milhões de reais no ano passado e mais cinco milhões de reais neste ano para chegar ao resultado esperado. E agora vai oferecer carretas em duas linhas: Premium, que são as carretas mais modernas e elaboradas com materiais mais nobre e, portanto, mais leves, e estandarte que é sua linha de carretas mais simples e mais baratas. “Temos que oferecer produtos que atendam as demandas de nossos clientes”, reforça Spricigo. “Nos adaptamos a este Brasil economicamente encolhido, mas acreditamos que assim que o governo agir como empresa, ou seja, cortando custos e priorizando a eficiência, o País voltará a crescer”, diz Spricigo, CEO da Librelato.

Enquanto isso, com produtos renovados, e opções para quem aceita pagar mais por produtos mais elaborados e para quem ainda prioriza o fator preço, a empresa vai se valer do câmbio favorável às exportações para vender para países africanos e da América do Sul.

As novidades

O novo semirreboque graneleiro carga aberta é o carro-chefe dos veículos Premium e, de acordo com informações da empresa, é o mais leve do mercado nacional. A tara do novo implemento é de 7.600 kg. Outra vantagem na construção desta carreta Premium é a utilização de polímero nas tampas laterais, em vez de compensado, material comprovadamente mais maleável e resistente. O novo semirreboque basculante, segmento que a empresa lidera no Brasil, também chega ao mercado com redução de peso, com tara de 8.900 kg sendo 1.100 kg mais leve que o modelo anterior. “Investimos na redução de peso para assegurarmos maior eficiência energética aos nossos clientes”, diz Spricigo.


Graneleiro

A linha de semirreboques sider ganhou novo design para permitir até 28 pallets e os semirreboques para o segmento florestal ficaram 30% mais leves que os modelos anteriores. Além disso, o bi trem tanque, por ser mais leve, consegue transportar até 62 mil litros de gasolina, ou 61 mil litros de etanol ou, ainda, 58 mil litros de diesel. “Conseguimos oferecer um produto que pode carregar até dois mil litros a mais de combustível”, conta o executivo.

O semirreboque carrega tudo, pescoço removível, chega também com novidades. Nesse novo modelo uma das vantagens é o embarque e desembarque de máquinas e equipamentos que poderá ser feito pela parte frontal do implemento sem utilização de rampas traseira. Além disso, a utilização de aço de maior resistência faz com que o produto seja, segundo dados da empresa, o mais leve do mercado. Outro destaque que será apresentado na Fenatran é o semirreboque furgão alumínio que tem nova frontal, colunas de aço, chapa de alumínio, teto em alumínio inteiriço, chapas de fechamento das portas em alumínio liso e aumento espessuras das colunas.


Coletor de Lixo - Máximus

Para sua linha de implementos leves, a novidade é o compactador de lixo que passa a ter maior capacidade de carga, chegando a 2,4 metros cúbicos, e dispensa lubrificação em alguns pontos onde, antes, era necessário a aplicação de agentes lubrificantes. Há, também, os implementos para coleta automatizada de lixo. “Este tipo de implemento é muito comum em alguns países da Europa, já visto em Buenos Aires, na Argentina e está começando no Brasil, como em Caxias do Sul (RS)”, diz Spricigo. De acordo com o executivo, “na próxima década, 70% da coleta de lixo será lateral e automatizada”. Hoje, no Brasil, este percentual é insignificante.

 
LEIA TAMBÉM