Festa em casa

 

“Do Vito ao Actros, nosso portfólio oferece veículos de 1 a 500 toneladas de capacidade”, anuncia Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina no luxuoso espaço montado dentro de um dos galpões da fábrica de São Bernardo do Campo, SP. A montadora, que optou por ficar de fora da Fenatran deste ano alegando que não ficaria bem participar de um evento desta natureza sendo que, dentro da fábrica, há no ar um clima ruim de demissões, não mediu esforços para fazer a festa em casa mesmo. Em outras palavras, fez sua Fenatran particular na segunda quinzena de outubro. Batizou de Mercedes-Benz Solutions Week. E tratou de, junto com sua rede de concessionários, convidar mais de mil clientes de todo o País.

Embora o Vito tenha chamado a atenção por ser um produto inteiramente novo para competir em um segmento ainda não atendido pela marca, que é o dos leves, o destaque mesmo fica para os novos caminhões extrapesados rodoviários Actros, os top de linha da Mercedes-Benz. Os pesadões receberam modificações leves no design, ganharam acessórios, itens para oferecer mais conforto dentro da cabina e o motor de 13 litros OM 460 LA que chega a 510 cv no modelo Actros 2551 6x4. Os já conhecidos Actros 2646 6x4 e Actros 2546 6x2 também recebem esse motor de 13 litros, na versão de 460 cv. “Os novos caminhões Actros ficaram mais brasileiros, foram integralmente desenvolvidos por nossa engenharia e, agora, passam a ostentar característica mix road, ou seja, são bons para estradas pavimentadas ou sem pavimento”, diz Schiemer. Além dos três novos Actros, a linha de caminhões Mercedes-Benz ganha mais quatro modelos inéditos: os semipesados Atego 3030 e 3026 8x2, os primeiros veículos da marca a sair de fábrica já na configuração 8x2 com 4 eixos; o Atego 2730 6x4 para construção civil e operações fora de estrada e o novo médio Accelo 1316 6x2, com terceiro eixo de fábrica, veículo para 13 toneladas de PBT.

“Os novos caminhões Actros ficaram mais brasileiros, foram integralmente desenvolvidos por nossa engenharia e, agora, passam a ostentar característica mix road, ou seja, são bons para estradas pavimentadas ou sem pavimento”


Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil

Lançado no IAA do ano passado, em Hanover, Alemanha, a linha Vito chega para ser uma opção interessante para aqueles clientes que não precisam de vans e furgões do porte da Sprinter. Produzido na Argentina, com PBT de 3.050 kg, o veículo chega ao mercado nos modelos furgão para transporte de cargas (Vito 111 CDI turbo diesel) e van de passageiros em duas versões: Vito Tourer 119 Comfort (8+1) e Vito Tourer 119 Luxo (7+1), ambas com motor turbo flex.


Família Actros: bons para on e off road

O furgão Vito 111 CDI será comercializado com o motor turbo diesel OM 622 LA de 4 cilindros e 1,6 litro de cilindrada, oferecendo 114 cv de potência a 3.800 rpm, com torque máximo de 270 Nm entre 1.500 e 2.500 rpm. Para a van Vito Tourer 119 está disponível o motor turbo flex (gasolina e etanol) M274 de 4 cilindros e 2 litros, com 184 cv de potência a 5.500 rpm, com torque máximo de 300 Nm entre 1.250 e 4.000 rpm.

 
LEIA TAMBÉM