Utilitários - A guerra das vans no Brasil

 

Neste ano, o país começa a ver uma guerra no segmento de vans. Em um mercado que era liderado com folga pela Renault, desde 2016, quando a Fiat descontinuou a montagem da Ducato no Brasil, surgiu concorrentes que querem abocanhar uma fatia maior desse bolo. Neste ano, a estimativa é de um crescimento de 15% a 20% nas vendas de vans, chegando a um volume de cerca de 20 mil unidades.

RENAULT MASTER

O diretor de vendas empresas da Renault, Alexandre Oliveira, disse que, apesar das vendas de vans não terem crescido no mercado total no primeiro trimestre, a expectativa é de alta de 15% este ano no comparativo com 2017. “O ano não começou tão bem, as tomadas de decisões estão mais lentas do que esperávamos, mas o clima está melhor. Queremos defender a nossa liderança, mesmo com outros concorrentes entrando no mercado e vamos trabalhar para isso”, disse o executivo.

A Renault Máster é líder de vendas há quatro anos, quando obteve 32,6% de participação. Naquele ano, foram licenciadas 37,81 mil vans. Em 2017, a montadora consolidou a liderança com 50,8% dos 12,19 mil emplacamentos de furgões no Brasil. “81% de nossas vendas são para o pequeno e médio transportador, por isso, esse novo plano de manutenção é importante para defendermos a nossa fatia de mercado”, afi rmou Oliveira.

Para isso, a montadora lançou um novo serviço de manutenção para o segmento. Oliveira disse que o pacote é mais completo do que o oferecido anteriormente. Agora, segundo o executivo, todas as peças que se desgastarem no veículo estão dentro do plano “Manutenção + Fácil Pró”. “O plano somente não cobre a troca de pneus e os serviços de balanceamento e alinhamento”, afi rmou Oliveira acrescentando que o serviço pode ser estendido para o restante da linha Renault.

MERCEDES-BENZ SPRINTER

A Mercedes-Benz também direcionou a sua ofensiva para os serviços de manutenção. A empresa lançou pacotes mais completos e customizados para cada tipo de cliente. O “Mercedes-Benz Service Care”, tem agora a troca de óleo dos agregados, fi ltros e manutenções preventivas, e há também uma opção mais completa, que inclui manutenções corretivas de itens de desgaste, guincho e deslocamento mecânico.

Jeff erson Ferrarez, diretor de vendas e marketing vans da Mercedes-Benz do Brasil, disse que espera que com as iniciativas a montadora consiga, pelo menos 30% do segmento. No ano passado, a Mercedes vendeu no Brasil 6.327 vans. Para ele, o mercado deverá crescer 20% no comparativo com 2017. “Nesses três meses percebemos que a demanda está bem alta. Além da própria retomada da economia, que deixa o transportador mais confi ante para renovar sua frota, nós temos que considerar que este ano ha um novo player que é a Fiat, que é um bom representante desse segmento”.

FIAT DUCATO

A Fiat relançou a Ducato no final do ano passado e, segundo o diretor de vendas, Juliano Machado, o trabalho agora da companhia é mostrar o veículo ao público. “Desde a sua descontinuidade, em 2016, já se passaram dois anos e os clientes se esqueceram do carro. Agora, estamos na campanha de apresentação do veículo”, afi rmou Machado.

O primeiro semestre, conforme o executivo, ainda não será de vendas dentro do previsto. Isso porque alguns parceiros transformadores e implementadores não tem as licenças para Ducato. “Isso também difi culta as nossas vendas. O carro fi ca em média seis meses para ser transformado. Mas, acreditamos que a partir do segundo semestre esse problema estará resolvido e conseguiremos chegar a um volume de vendas de 4 mil a 4,5 mil em 2018”, ressaltou o executivo, acrescentando que a montadora também oferece taxas de juros competitivas, 0,99% ao mês, para atrair esse cliente.

A Iveco também está no esforço para conquistar o cliente depois de algum tempo fora do mercado. Em maio, a montadora lançará uma versão mais leve da Daily o que vai melhorar o desempenho de transporte de carga do veículo. O diretor de vendas da montadora, Ricardo Barion, afi rmou que o novo produto é mais adequado à movimentação de volumes, como caixas e pacotes.

IVECO DAILY

“Esse carro é focado para o comércio eletrônico e, com o novo modelo, a nossa expectativa é comercializar este ano 7 mil unidades. É um volume factível, considerando a recuperação do mercado que deve crescer até 20%”, disse Barion.

 
LEIA TAMBÉM