Eficiência turbinada

 

Nestes tempos mais difíceis, de alta concorrência e, devido aos problemas econômicos, rentabilidade reduzida, qualquer ação para melhorar a eficiência sempre é muito bemvinda. O transportador tem que estar atento a custos, gestão de frota, nichos de mercado, treinamento de pessoal, manutenção mais assertiva e, além disso tudo, não deixar de lado as questões técnicas. Uma delas, certamente a mais importante: motor a diesel tem que ser turbinado.

De acordo com Lauro Takabatake, diretor de engenharia da BorgWarner, uma das maiores fabricantes de turbinas automotivas do mundo e que tem fábrica em Itatiba, SP, a turbina melhora o consumo, permite uma queima de combustível mais adequada (contribuindo para diminuir a emissão de gases nocivos ao meio ambiente) e prolonga a vida útil do motor. A empresa fornece para fabricantes como Mercedes-Benz, MAN, Iveco e DAF e, naturalmente, também para o mercado de reparação.

Equipamentos indispensáveis para que o motor rode com mais eficiência, as turbinas merecem sempre cuidado extra na hora da manutenção, até porque são a primeira coisa a sofrer as consequências de partículas e sujeiras no ar. A dica é cuidar dos turbos, com rigorosa manutenção preventiva, para prolongar a vida útil dos motores dos caminhões. De acordo com especialistas consultados, alguns sintomas apresentados quando há problemas no turbo podem ser confundidos com avarias do próprio motor: perda de potência, emissão de fumaça, barulho estranho e consumo excessivo de combustível.

Quando esses sintomas aparecem, o problema já está instalado em seu motor. Por isso, uma vez ciente da importância do turbo para todo o conjunto, dê a ele tratamento diferenciado e a devida atenção em todas as paradas previstas para manutenção. Quando se tem exata ideia dos custos elevados para se resolver problemas de um motor a diesel, fica fácil cuidar para que a turbina não sofra desgastes prematuros. Trocar o óleo lubrificante e os filtros no tempo recomendado pelos fabricantes, além de utilizar combustível de qualidade, são essenciais para o bom funcionamento do conjunto.

O engenheiro Takabatake reforça que motores maiores e mais modernos já utilizam duas turbinas para LAURO TAKABATAKE, DIRETOR DE ENGENHARIA DA BORGWARNER melhorar a performance do caminhão, uma pequena e uma grande. “Em baixa rotação funciona o turbo pequeno; em média rotação entram em ação os dois turbos; e em alta rotação funciona apenas o turbo grande.”

O especialista da BorgWarner diz que o ideal, para melhor rendimento energético do motor, seria que, independentemente do tamanho do motor, sempre se fizesse uso dessas duas turbinas. “Em nossos testes notamos que a utilização de dois turbos gera, em média, economia de cerca de 2% de combustível.”

Por essa razão o frotista deve ficar atento na hora de comprar caminhões. Procure ter mais informações sobre a turbina, que não é um item que serve apenas para melhorar a performance do motor. Ela aumenta a vida útil do motor e melhora a sua eficiência. O especialista da BorgWarner garante que uma turbina bem cuidada pode trabalhar sem problema algum por mais de um milhão de quilômetros no caso de caminhões pesados.

LAURO TAKABATAKE, DIRETOR DE ENGENHARIA DA BORGWARNER

Para o futuro, Takabatake diz que as fabricantes estão trabalhando no desenvolvimento de turbinas com geometria variável com aletas móveis, para controle de gases. “Já começamos com a nacionalização desses turbos, que equipam os novos caminhões Delivery”, diz. Segundo o engenheiro, para quem motores a Diesel ainda vão imperar soberanos por longos anos no Brasil, a nova geração de turbos assegura, em um só equipamento, a eficiência que, até agora, só era possível com a utilização de duas turbinas.

 
LEIA TAMBÉM