Irmãs gemêas, personalidades diferentes

 

Há duas sutis diferenças entre o Peugeot Expert e a Citroën Jumpy: a grade dianteira e a logomarca. Há mais uma: a Peugeot resolveu lançar seu modelo Expert na Fenatran, enquanto a Citroën preferiu fazer um trabalho mais focado nas concessionárias.

De resto, salvo um ou outro detalhe, os dois comerciais leves são exatamente iguais. Inclusive nas qualidades do trem de força. Enfim, são dois filhos, com nomes diferentes, mas desenvolvidos pela mesma engenharia francesa da PSA. Outra semelhança inusitada no mercado: o preço sugerido para a versão básica dos modelos de ambas as marcas é o mesmo: R$ 79.990,00. A versão completa da Expert, a Business Pack, que vem com ar-condicionado e itens de conforto, vai custar R$ 87.990,00. O mesmo valor da versão de luxo da Jumpy.

Detalhe que faz a diferença: banco do passageiro bascula e permite acomodar um metro a mais de carga.

A Peugeot tem 106 revendas e, também como sua irmã Citroën, vai oferecer um espaço exclusivo para clientes de veículos comerciais como o Partner e a Expert. Antoine Gaston Breton, diretor de marketing da Peugeot, assegura que, embora os produtos sejam tecnicamente os mesmos, as estratégias de vendas e marketing serão bem distintas.

“Certamente vamos concorrer entre si, mas sabemos que oferecemos, ambas, o mesmo produto de alta qualidade. O cliente vai decidir por quem oferecer os melhores serviços e onde encontrar o melhor suporte no atendimento”, afirma o executivo, que explica essa atenção e força do Grupo PSA nesse segmento de pequenas vans especialmente por conta do crescimento dos negócios com e-commerce. “Aumentou muito a demanda por logística urbana, e notamos que os comerciantes digitais buscam veículos que podem entrar em qualquer lugar, sem restrição alguma.”

Breton diz que, em dois anos, a Peugeot tem planos de deter cerca de 15% desse segmento, que só agora começa a ter competidores com produtos de ponta. O preço informado, assim como o da Citroën Jumpy, é promocional e tem prazo de validade.

“Durante toda a Fenatran certamente manteremos esse valor, mas não temos como dizer, agora, se vamos mantê-lo assim por muito tempo.” O certo é que vai aumentar - mas, também é certo, ficará, conforme dizem executivos franceses, sempre abaixo da Vito (o principal concorrente em termos de qualidade de produtos, cujo preço sugerido fica em torno de 105 mil reais).

Interior ergonômico e que traz o conceito de automóvel de passeio.

Kia e Hyundai têm produtos nesse segmento com preços na faixa de 80 mil reais. “Mas as coreanas não oferecem o mesmo nível de produto que nós oferecemos. Nosso veículo, em termos tecnológicos, se assemelha ao Vito”, diz Breton. No que apuramos, em pós-venda, Citroën e Peugeot vão oferecer também garantias e garantia de parachoque a parachoque, compromisso para entregar o veículo na data acertada e a oferta de um carro reserva (de passeio) para quem tiver a van retida por mais de quatro dias na oficina para manutenção.

Consciente de ambos terem o mesmo produto, o mesmo serviço e até o mesmo preço, o cliente, por fim, é quem vai tomar a decisão de para qual marca francesa pende seu coração. Ou, pela lógica, o que normalmente acontece, qual fica mais próxima de sua operação. Outra coisa que pesa e que frotista leva em conta é o TCO (preço total para o proprietário, equação que considera desde consumo de combustível, passando por preço de peças até mão de obra nas oficinas autorizadas). A Peugeot e a Citroën garantem um TCO de 1 real por quilômetro rodado . “É o mais barato do mercado”, diz Breton.

 
LEIA TAMBÉM