Do jeito que o cliente quiser

 

Foi nos anos 1990 que a Scania teve uma sacada que a permitiu dar um salto e tanto nos mais de 100 mercados onde atuava pelo mundo: criou a modularidade na produção. Um exemplo simples e didático: talvez a engenharia da empresa tenha se inspirado no famoso jogo “Lego”, em que é possível, com poucas peças, montar uma infinidade de brinquedos diferentes.

Cinco mil caminhões Scania conectados no Brasil: a marca conhece a fundo as particularidad es de cada um deles.

Foi bem isso que a Scania fez. Uma série de componentes se combinam de modo a criar um vasto leque de opções e configurações de caminhões para seus clientes. Deu muito certo. E, com o tempo, a empresa se empenhou em sofisticar esse sistema modular. Agora, a marca vai mostrar, nesta edição da Fenatran, que a conectividade permitiu um avanço e tanto, fazendo com que a modularidade também chegasse aos serviços.

A Scania será a primeira montadora a oferecer programas de manutenção com planos flexíveis. É um conceito inovador, que seria perfeito se fosse copiado, por exemplo, pelos planos de saúde. Nesse novo jeito de se oferecer planos de manutenção, cada caminhão é avaliado e paga um valor mensal de acordo com seu comportamento, com sua utilização e, obviamente, modo de condução.

“Um caminhão bem conduzido, com um motorista bem treinado e cuidadoso, com certeza vai pagar muito mais barato por seu plano de manutenção do que um caminhão, na mesma operação, conduzido por um motorista menos habilidoso”, diz Fábio Souza, diretor de serviços da montadora.

Isso só é possível graças à conectividade dos caminhões Scania que, segundo Souza, já somam cinco mil veículos no mercado brasileiro e mais de 270 mil veículos da marca em todo o mundo.

Heavy Tipper: um minerador mais robusto e mais longevo

De acordo com Souza, a manutenção flexível pode reduzir em até 16% os custos com serviços de cada veículo. “Os planos fixos previam, naturalmente, a pior situação para o caminhão. Já o plano flexível é mais assertivo e, por meio da conectividade, é possível saber exatamente como cada caminhão está operando em campo. Por isso, em qualquer situação, mesmo se o motorista for ruim, o plano flexível sempre será mais vantajoso financeiramente.”

Todos os Scania novos comercializados desde o ano passado já saem com o dispositivo chamado “Communicator”, e a Scania oferece dez anos gratuitos para o sistema ficar ativado. Com o aparelho ligado, tudo o que acontece com o caminhão é passado para uma central na Scania. Por isso o cliente precisa autorizar para que o dispositivo passe a funcionar. Uma vez em ação, o sistema monitora o caminhão e emite informações em tempo real sobre condução, performance e todo o comportamento elétrico e mecânico do caminhão. Desse modo, conectado, a concessionária da marca que fez a venda é avisada cada vez que o veículo precisa de algum tipo de manutenção preventiva ou até mesmo corretiva.

Se o motorista e o frotista forem zelosos, basta agendar uma visita na revenda, tudo com hora marcada, e fazer a revisão ou o reparo. Como tudo foi programado, peças, técnicos e mecânicos já estarão a postos para executar o serviço no menor tempo possível. Não precisa entrar em fila, fazer pré-diagnóstico, aguardar vaga no box de serviço, nada disso. É chegar e ser atendido. Quem é profissional de transporte sabe bem que caminhão parado é dinheiro perdido.

E, se o cliente optar por fazer uso da conectividade paga da Scania, que funciona também como telemetria, aí é possível receber treinamento à distância ou presencial para os motoristas por meio do “Scania Driver Services”. Nos novos caminhões, há ainda o dispositivo “Driver Support”, que mostra, durante a condução, se o motorista está fazendo tudo certo, tudo mais ou menos certo ou tudo errado. Se com caminhão automatizado já ficou bem mais fácil dirigir, com esse novo sistema passou a ser bem difícil persistir em erros que possam elevar o consumo de combustível ou danificar o caminhão.

Na Fenatran, a Scania vai focar muito nesses serviços conectados para apresentar suas vantagens que contribuem para tornar cada operação mais eficiente. Os sistemas são amigáveis e fáceis de usar. A empresa até fez uma demonstração prática para os jornalistas (que não são motoristas profissionais), e os resultados foram animadores quando todos notaram que, depois do auxílio do Scania Drive Service, a maioria conseguiu melhorar sua performance ao volante.

Agora, para quem gosta de ver produtos, para aqueles que se animam mesmo ao ter contato com caminhões vistosos, potentes e gigantes, o estande da Scania vai estar com sua gama completa. Certamente sob holofotes estará o novo off road Scania Heavy Tipper, um caminhão que se aproxima em robustez e capacidade de carga daqueles gigantescos caminhões da linha amarela que trabalham em mineração.

Produzido com componentes mais robustos, o novo modelo carrega até 25% a mais de carga líquida em relação aos modelos anteriores da Scania. Entre os destaques estão o novo sistema de troca, a conectividade e os programas de manutenção.

“O Scania Heavy Tipper surge num período perfeito de retomada da compra, a curto e médio prazo, de caminhões para a mineração. Desde 2013 esse mercado não dava sinais concretos de voltar a ser comprador”, afirma Fabricio Vieira, gerente de Mineração da Scania no Brasil. “O cliente brasileiro vem pedindo um pacote, de veículo e serviços, ainda mais rentável para contribuir com a redução dos custos operacionais. E o Heavy Tipper realiza esse desejo, por isso é a solução ideal.”

Atualmente, a Scania tem 33% do mercado de mineração no Brasil. Com o lançamento do Heavy Tipper, a empresa projeta um incremento de mais 12% nas vendas. “Com os novos produtos, temos como meta aumentar a participação para 45%”, destaca Vieira.

O Scania Heavy Tipper traz componentes mais robustos desenvolvidos para atender às mais severas aplicações. A nova gama salta das atuais 32 toneladas de capacidade de carga líquida para 40 toneladas, ou um índice 25% superior. Dessa forma, o peso bruto total (PBT) subiu para 58 t. “Os concorrentes oferecem no máximo 32 toneladas e 48 t de PBT. Estamos inovando no mercado mais uma vez, e criando um nicho”, salienta o gerente.

Além disso, em comparação com a linha atual Scania para a mineração, ele reduz em até 15% o custo por tonelada transportada, aumenta em 30% a vida útil na operação (cerca de um ano a mais de trabalho, considerando três anos a vida média das opções atuais do mercado), eleva em até 5% a disponibilidade da frota e pode proporcionar até 10% de economia de combustível por tonelada transportada.

Para atender à nova demanda de carga, toda a suspensão (molas parabólicas, barras estabilizadoras e amortecedores) foi alterada e está ainda mais robusta; e a Scania também irá disponibilizar pneus com maior amplitude de volume (de série, 5.550 kg por unidade, e opcional, de 6.000 kg). Por outro lado, para garantir a segurança necessária durante a operação, o sistema de direção se tornou mais robusto e o freio ganhou um reforço no sistema, proporcionando um melhor desempenho de frenagem.

Completam os itens de série: câmbio Opticruise automatizado de 14 velocidades reforçado (oferece o modo Off Road, permitindo ao propulsor girar em rotações mais amplas), freio hidráulico auxiliar Scania Retarder (com potência de frenagem de 4.100 Nm), freio motor de 261 kW, controle de tração, hill-hold (sistema de auxílio que segura o veículo em aclives, impedindo que ele recue no momento da saída), eixo traseiro com diferencial duplo e ângulo de ataque de 29º.

Novos motores

Para quem gosta de ver grandes engenhos esbanjando potência, o lançamento da Scania são as duas novas potências para seu motor de 13 litros. Os novos motores chegam com 450 cv e 510 cv. De acordo com Eronildo Santos, diretor de desenvolvimento de negócios da Scania Brasil, os novos motores asseguram 5% de economia de combustível.

São motores de 13 litros com seis cilindros em linha . A versão de 450 cv atinge a potência máxima a 1.900 rpm, com torque de 2.350 Nm. Já a opção de 510 cv também atinge seu potencial máximo na mesma rotação da versão de 450 cv, mas o torque é maior: 2.550 Nm. Essas novas versões dos motores Scania serão oficialmente lançadas na Fenatran.

 
LEIA TAMBÉM