Estratégia 8x2

 

Transportar cargas em longas distâncias é o grande desafio logístico do Brasil com suas dimensões territoriais que lembram um continente.

Considerando que o modal ferroviário ainda carece de muito investimento e evolução; que a cabotagem dá sinais agora de revitalização e a hidrovia sempre ficou encalhada, a solução imediata, e por certo, tem que se ancorar nos caminhões mesmo.

Para tentar organizar melhor o transporte de longa distância, entenda composições com PBTC acima de 57 toneladas, o Contran fez valer resolução, em 2011, que definiu a obrigatoriedade de tração dupla, tipo 6x4, para caminhões do tipo bitrem. O rigor dessa lei teve forte reflexo em alguns modais de transporte que antes era tracionada basicamente por um veículo 6x2.

As consequências mais impactantes no dia a dia do transportador foram o maior valor de investimento para adquirir veículos 6x4, o aumento no consumo de pneus por não haver a possibilidade de levantar um eixo quando o implemento estivesse vazio e o acréscimo no consumo de combustível, pelo fato de a tração dupla causar maior arraste com o solo.

 

O cavalo mecânico Scania 8x2 tem capacidade para 54,5 t de PBTC, de 37 t de carga líquida

Para buscar um jeito de reduzir custos, o Grupo G 10, transportador rodoviário de Maringá, PR, adaptou um cavalo mecânico 6x2 para transformá-lo em 8x2, e trafegar com carretas de três eixos. A empresa fez a adaptação em oficinas independentes, e a alternativa foi copiada por outras transportadoras. A configuração 8x2 rodoviária permite o aumento de capacidade de carga em comparação à 6x2 com “vanderleia” e menor custo operacional em relação a um bitrem, mantendo a composição dentro da lei.

Em razão de a alternativa ter virado tendência e ser cada vez mais rentável, o G 10 procurou a Scania para desenvolver uma solução original de fábrica. A fabricante, que já vinha estudando a configuração de eixos 8x2 rodoviária desde 2009, desenvolveu o caminhão internamente com peças e componentes capazes de atender também às demandas dessa aplicação.

Agora a Scania oferece ao mercado o cavalo mecânico com configuração de rodas 8x2. O cavalo mecânico Scania 8x2 tem capacidade para 54,5 t de PBTC, de 37 t de carga líquida, leva carreta de três eixos e se encaixa entre a composição “vanderleia” (tração 6x2, carreta de três eixos espaçados e capacidade para 53 t) e o bitrem (o famoso sete eixos, tração 6x4, com duas carretas de dois eixos e capacidade para 57 t). Há opções das cabines R, R Highline ou R Streamline. “A versão 8x2 original representa para o cliente redução do investimento inicial de compra ante uma composição de bitrem com cavalo 6x4 e também na adaptação de um quarto eixo não original no mercado. Ou seja, nossa solução oferece um conjunto confiável, rentável e com menor custo operacional. Isso é fundamental para o mercado do transporte rodoviário de cargas, que tem margens cada vez mais apertadas nos valores dos fretes”, afirma Victor Carvalho, diretor de Vendas de Caminhões da Scania.

Outras vantagens do 8x2 são a maior agilidade em manobras, principalmente em portos e centros de distribuição, e uso de dois pneus a menos que o bitrem. “Nas operações carregado/vazio indo ou voltando de um serviço, o 8x2 rodoviário consome menos combustível e pneus, pois conta com levantadores dos dois eixos do cavalo mecânico e da carreta”, explica Celso Mendonça, gerente de desenvolvimento de negócios da Scania.

O Scania R 440 8x2 sai de fábrica equipado com motor de 13 litros, que gera 440 cavalos de potência e desenvolve torque de 2.300 Nm entre 1.000 e 1.300 rpm. Seus freios são a tambor, o entre-eixos é de 3.900 mm, o eixo de tração é o R 885 (com capacidade máxima de tração de 78 t) e a relação de diferencial de 3,07:1.

Também são itens de série a caixa automatizada Scania Opticruise de quarta geração, ar-condicionado digital e Scania Driver Support, exclusiva tecnologia que serve como um tutor eletrônico, instalado no painel, para o auxílio a quem dirige com dicas de melhorias na condução em tempo real. Nos itens opcionais, freio hidráulico auxiliar Scania Retarder de 4.100 Nm, rádio com GPS e faróis de xenônio.

Para a Scania conceber um cavalo mecânico com dois eixos direcionais e garantir boa manobrabilidade foi escolhido o entre-eixos de 3.900 mm; os tanques de combustível foram removidos das laterais, para dar espaço ao eixo, e fixados lado a lado atrás da cabine. Para suportar o aumento de carga sobre o cavalo 8x2, a quinta roda utilizada é a mesma dos rodoviários 6x4, que tem capacidade de 24 toneladas.

 
LEIA TAMBÉM