Aposta no e-commerce

 

Um único seg mento além de não cair, subiu neste ano em relação ao ano passado: comerciais leves. Entre janeiro e fevereiro deste ano 42.198 unidades foram emplacadas contra 37.788 no primeiro bimestre do ano passado. O crescimento foi de 11,67%. É um segmento difícil de mensurar porque grande parte dos veículos são destinados a passeio (como as luxuosas picapes cabine duplas) e uma pequena parcela a trabalho, como as picapes simples e pequenos furgões.

Mas quando se considera veículo para trabalho, como o Fiat Fiorino, campeão de vendas, com 1.061 unidades vendidas neste bimestre, ainda assim os volumes neste segmento específico são positivos e estão em ascensão. Bem ao contrário de todos os demais segmentos de veículos destinados especificamente para o transporte de carga cujas vendas no primeiro bimestre deste ano desapontaram.

Werner Schaal, gerente sênior de Marketing & Vendas Vans da Mercedes-Benz do Brasil.

Considerando apenas os veículos para transporte de carga (deixando de lado as picapes usadas normalmente como carros de passeio), a Renault Master é a segunda mais vendida neste ano, com 884 unidades emplacadas no bimestre. A Fiat Ducato vem na terceira posição com 419 veículos emplacados.

Já quando nos atemos apenas aos veículos leves acima de 3,5 toneladas, voltados exclusivamente para cargas, o Ford F 350 segue na liderança com 32% (122 unidades) deste mercado acompanhado de perto pela Mercedes-Benz Sprinter 415 com 31,3% (118 veículos) e, em terceiro a Sprinter 515 com 15,38% (58 unidades).

De acordo Werner Schaal, gerente sênior de Marketing & Vendas Vans da Mercedes-Benz do Brasil, este ano será favorável para vendas de veículos leves. A fabricante alemã estima um crescimento entre 5% e 10% no mercado total de “Large Vans” (3,5 a 5 toneladas de PBT), categoria de mercado inaugurada pela Sprinter no Brasil em 1997, com a comercialização de chassis com cabina, furgões e vans. “Alguns setores da economia dão sinais positivos de aquecimento e entre eles se destaca o e-commerce, com expectativa de aumento de 13% neste ano”, diz Schaal.

“Este cenário cria ótimas perspectivas para nossos veículos comerciais leves Sprinter. No caso do chassi com cabina, por exemplo, o mercado total deve ter um avanço entre 10% e 15% nas vendas em 2017”.

A Mercedes-Benz completou neste ano duas décadas fabricando o modelo Sprinter no Brasil. A montadora vem registrando um aumento sistemático de participação de mercado em veículos comerciais leves no segmento de “Large Vans”. “Em apenas cinco anos, aumentamos nosso market share em mais de 12 pontos percentuais, saltando de 14% em 2011 para 26,6% em 2016”, diz Schaal. “Esse resultado é muito expressivo, por tratar-se de um segmento extremamente competitivo e com potencial de crescimento no País nos próximos anos”.

Em 2016, foram comercializadas mais de 4.800 unidades da linha Sprinter no mercado brasileiro. Com isso, a Mercedes-Benz obteve a participação de 26,6%, representando 2 pontos percentuais a mais em relação aos 24,5% de 2015.

 
LEIA TAMBÉM