Em operação

 

Já estamos acostumados a ver imagens de veículos futuristas conceituais, mas nem sempre podemos verdadeiramente andar neles ou vê-los em ação. A Mercedes-Benz inovou ao colocar, ainda em fase de testes, seu ônibus urbano com condução semiautomatizada para rodar em Amsterdam em um BRT de 20 km que liga a cidade ao aeroporto.

Neste ônibus urbano, batizado de Future Bus, a única coisa conceitual é o layout interno. Mas esta parte é pouco importante e seu design foi mais feito para causar sensação do que para ter alguma funcionalidade de ordem prática na hora de fazer o que um ônibus deve fazer: transportar o maior número possível de passageiros com conforto, dignidade e eficiência. Por isso, vamos deixar o layout interno de lado e vamos nos concentrar no que realmente interessa: a tecnologia embarcada que permite antecipar o que será tendência em coletivos que atenderá grandes metrópoles.

Basta um simples toque em uma tecla azul ao lado da janela do motorista para ativar o sistema CityPilot e o veículo entrar em condução autônoma seguindo a linha do BRT, lendo os semáforos e, por meio de sensores e câmeras, percebendo pedestres, bicicletas, animais ou algum desavisado que inadivertidamente cruzar seu trajeto. Para ativar o sistema o motorista precisa tirar os pés do acelerador e do pedal do freio e o volante tem que estar solto, pois qualquer atividade do condutor se sobrepõe ao comando do CityPilot. Independnetemente da situação, o motorista sempre mantém o controle final e pode interferir quando quiser.

Um semáforo especial funciona à frente do ônibus: duas luzes vermelhas juntas na faixa do BRT significam “Pare” e duas luzes brancas, uma em cima da outra, significam “Siga”. A luz muda para branco e o ônibus sai suavemente, indo para o centro de sua faixa como se estivesse sendo guiado por uma mão invisível. Os passageiros em pé não precisam se preocupar, já que o ônibus sempre se conduz defensivamente, preocupado com seus ocupantes, mesmo se estiver atrasado ou se o turno estiver acabando após um longo dia.

O próximo semáforo está vermelho e o ônibus avisa antecipadamente o motorista a distância até ele. O CityPilot é capaz de reconhecer qual a luz acesa graças ao seu sistema de câmeras. Ele fica alojado em um console na borda inferior do para-brisa. A tecnologia fica dentro da área de varredura do limpador de para-brisa e do desembaçador, mas sem atrapalhar o campo de visão do motorista. Os sensores de radar ficam ainda mais abaixo. O ônibus também tem GPS a bordo. Com o semáforo verde, o ônibus segue o trajeto automaticamente. Se encontrar outro semáforo, desta vez vermelho, o veículo parada cuidadosamente. O sistema nunca permite saídas ou paradas bruscas. Além disso, se pedestres atravessarem a linha, o ônibus para e os deixa passar seguramente. Tudo isso, claro, com o motorista monitorando e podendo intervir em todo e qualquer processo.

Mas e quando passa sob pontes ou túneis? O sistema faz com que o Future Bus mantenha-se na rota com segurança. Ao motorista, basta ficar atento para assumir o controle caso ocorra algum problema. E é só colocar a mão no volante que tudo passa imediatamente a responder seus comandos. Ao deixar o perímetro densamente urbano, o sistema o faz o ônibus acelerar até o limite permitido de 70 km/h. A velocidade máxima é pré-programada e as mãos do motorista continuam fora do volante, mesmo a esta velocidade. Ondulações no piso mexem com o ônibus para cima e para baixo e ele passa por um curto túnel sem que o motorista precise assumir o comando. Quando há tráfego em sentido contrário – outros ônibus, controlados manualmente, por exemplo – as mãos do motorista assumem brevemente o volante para intervir, caso necessário, conforme exigem as regras de trânsito.

O procedimento nos pontos de parada também é automatizado: quando o ônibus para, ele automaticamente aciona o freio e abre as portas. Uma barreira fotoelétrica informa que os passageiros estão entrando. As portas são fechadas somente quando todos estão a bordo.

CityPilot

O sistema CityPilot foi inspirado no Highway Pilot do caminhão autônomo Actros da Mercedes -Benz, apresentado na IAA de 2014. Mas como sua aplicação agora é para ônibus urbano, a engenharia da Mercedes-Benz dotou-o de um leque de novas funções para adaptá-lo melhor às vicissitudes das grandes cidades.

O CityPilot possui uma dúzia de câmeras que varrem a via e suas vizinhanças, enquanto os sistemas de radar de curto e longo alcance monitoram constantemente o caminho à frente, além disso o carro é integralmente acompanhado via GPS. Graças à fusão de dados, a tecnologia embarcada permite uma condução extremamente precisa e segura. E, neste veículo, o motorista ganha um status mais elevado: monitor de operação. Na eventualidade de qualquer imprevisto, ainda é preciso confiar nas habilidades humanas

 
LEIA TAMBÉM