Um aperfeiçoamento que nunca para

 

Nem o encolhimento do mercado é capaz de reduzir os investimentos das montadoras no treinamento dos mecânicos que trabalham em suas concessionárias. Em tempos de contenção de custos, frotistas têm migrado com mais intensidade na busca por serviços de manutenção que sejam tão competitivos quanto eficazes. E o fator humano é fundamental nesse cenário. A Revista Transpodata conversou com 7 fabricantes para saber como cada uma treina os seus profissionais de reparação.

Scania

“Ficamos atentos em colher as demandas do mercado para disponibilizar os treinamentos na rede de concessionárias, por meio de um cronograma anual. Nessa programação estão inclusos  treinamentos técnicos, comerciais e gerenciais. Temos um centro de treinamento na fábrica, em São Bernardo do Campo (SP), e mais seis Centros de Treinamentos Regionais (CTRs) nos Estados do Rio Grande do Sul, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso, Bahia e Pará. Os instrutores regionais são treinados e homologados pela própria Scania em seu centro de treinamento da fábrica.

Após o treinamento, o mecânico faz uma avaliação final para obter a aprovação, que é somada à sua participação em aula. Algumas concessionárias possuem a figura do avaliador técnico, um profissional que acompanha o aluno após o treinamento. Outro ponto importante é que as tarefas realizadas nos veículos são medidas por tempo indicado pela fábrica, chamamos de tempo padrão, o que também é um indicativo se o treinamento foi eficaz. Temos também auditorias por meio do Programa D.O.S. (Dealer Operating Standard), um guia oficial de políticas, procedimentos, regras e recomendações aos concessionários”.

Andréa Destri, diretora de Recursos Humanos da Scania no Brasil

MAN

“Nossos treinamentos para a rede de concessionárias concentram-se em nosso centro de treinamento, localizado em São Bernardo do Campo (SP). Temos uma área de mais de 5.000 metros quadrados destinada à capacitação.

Nossa grade é bastante ampla e também prevê capacitação online, por meio de plataforma própria, além do treinamento em nosso CT (Centro de Treinamento) e até nas concessionárias, quando há demandas específicas. Em casos de aplicações especiais, também visitamos a empresa do cliente para ministrar o treinamento diretamente para esse público. Nossa premissa é ter flexibilidade para atender às necessidades de nossa rede de concessionários e dos clientes. Além da preocupação em atender todas as áreas, há o trabalho de disponibilizar material técnico e ferramental, de modo a facilitar a compreensão e absorção do conteúdo. Por isso, os investimentos nessa área foram mantidos, apesar da crise.

É importante ressaltar que, anualmente, todo colaborador passa por pelo menos um ciclo de treinamento, seja para reciclagem ou aprendizagem de novas técnicas ou produtos”.

Eduardo Pignata, supervisor de Treinamento e Desenvolvimento de Rede da MAN Latin America

Iveco

“Em 2014, realizamos uma reestruturação ampla do nosso processo de capacitação. Além da atualização de todos os conteúdos técnicos abordados nos treinamentos, passamos a adotar a ‘Andragogia’ como metodologia, ou seja, a arte de ensinar os adultos com o objetivo de atingir uma aprendizagem efetiva, capaz de desenvolver habilidades, conhecimentos e competências. O Treinamento Técnico da Iveco elabora e disponibiliza para sua rede de concessionárias um cronograma de treinamento trimestral.

Também realizamos avaliações de desempenho de cada um dos participantes, reconhecendo como habilitados somente os profissionais que apresentarem, ao final do período, um rendimento igual ou superior a 70%. Além disso, após 30 dias do treinamento, fazemos uma pesquisa de Efetividade Amostral entre os gestores dos participantes. Neste momento, por meio da percepção dos gestores, avaliamos se o treinamento oferecido está contribuindo para que o profissional desenvolva suas atividades com maior qualidade e eficiência.

Os treinamentos em Centros de Treinamento localizados em Curitiba (PR), Betim (MG) e Sorocaba (SP). Também realizamos treinamentos nas concessionárias, de acordo com o interesse do dealer e da própria Iveco”.

Rômulo D Alessandro, gerente de pós-venda da Iveco

Ford Caminhões

A marca possui uma matriz de treinamentos com mais de 60 cursos diferentes, entre E-learnings e presenciais. São três níveis de qualificação: Básico, Senior e Master, onde ensinam desde fundamentos de eletricidade automotiva a técnicas avançadas de diagnóstico dos motores e transmissões utilizados nos caminhões.

Ao final de cada treinamento é realizada um prova pra avaliação dos técnicos. Para que o técnico seja considerado aprovado nos treinamentos, em cursos E-learnings, a Ford exige 100% de aproveitamento, e para os cursos presenciais 70%.

Os treinamentos são ministrados em 4 centros de treinamento: na planta da Ford Caminhões em São Bernardo do Campo (SP), e em escolas do Senai em Porto Alegre (RS), Goiânia (GO) e Paulista (PE).

Desde 1957, quando a Ford produziu o primeiro caminhão F-600 no Brasil, já foram treinados mais de 60.000 técnicos.

Volvo

A fabricante mantém um centro de capacitação de mecânicos e pessoal de pós-venda em seu complexo industrial localizado em Curitiba (PR). O CDC (Centro de Desenvolvimento de Competências) tem a infraestrutura necessária para treinar instrutores da rede de concessionárias de caminhões e ônibus.

Usando a metodologia “Train the Trainer” (Treinar o Instrutor), o CDC continuamente desenvolve os profissionais da rede responsáveis pela replicação do conhecimento entre os técnicos e demais profissionais da área comercial, aumentando sensivelmente o alcance e a qualidade do treinamento.

Instalado em um prédio de 2,6 mil metros quadrados dentro de um terreno de 10 mil metros quadrados, o CDC tem salas para treinamentos teóricos e práticos, espaços exclusivos para capacitação em simuladores e garagens para aulas práticas e para exposição de veículos.

Sete das salas são para treinamento específico em chassis, eletricidade, transmissão e motor. São ministrados desde cursos básicos de mecânica até outros mais sofisticados, como o de diagnóstico avançado de falhas, no qual os alunos têm contato com um caminhão ou chassi de ônibus que sai da fábrica já com falhas estrategicamente criadas.

Os técnicos recebem uma formação com carga horária de cerca de 420 horas. Os cursos de atualização anual envolvem mais 120 horas de treinamento para cada profissional.

Foton

“Realizamos treinamentos periódicos para os profissionais de pós-venda da nossa rede, dedicando grades de cursos específicas para o gestor do Pós-Venda da concessionária e os mecânicos. Além disso, os mecânicos também são treinados pela Cummins no processo de certificação da concessionária Foton. Os treinamentos de Gestão de Pós-Venda e de conhecimentos gerais de mecânica e elétrica são realizados na sede da empresa em Várzea Paulista (SP). Temos um curso específico para os mecânicos focado em trem de força, chassi, freios, suspensão e cabine, além de elétrica. Também há um curso de revisões e atendimento, e no caso do motor a Cummins realiza os treinamentos específicos para os motores 2.8 e 3,8 litros”.

Alcides Cavalcanti, diretor de Vendas, Marketing e Pós-Venda da Foton Caminhões

Mercedes-Benz

“Temos o Programa de Treinamento Anual, que é padronizado para cada concessionário. Com base em suas demandas quantitativa e qualitativa, a Empresa prepara a grade com temas e datas específicas para cada revenda. Hoje, temos 3 Centros de Treinamentos próprios (Campinas, Recife e Porto Alegre), e além dessas unidades trabalhamos com 8 Centros de Treinamentos homologados e mais 7 parceiros de treinamentos técnicos, como Senai e Sest/Senat, que estão distribuídos pelo País. Já realizamos esse trabalho há mais de 35 anos, a formação de nossos técnicos de manutenção, sistemas e diagnósticos segue um padrão que foi desenvolvido pela nossa matriz na Alemanha para aplicação mundial”.

Jefferson Ferrarez, gerente sênior de Desenvolvimento Rede de Concessionários da Mercedes-Benz do Brasil

DAF

“Fazemos um treinamento contínuo dos profissionais de mecânica em nossa DAF Academy, em Ponta Grossa (PR), por meio de uma parceria da montadora com o Senai. A nossa fábrica está sempre identificando quais são as áreas que estão precisando de reciclagem em treinamento e, assim, promovendo novos cursos. Essa identificação é feita com base na satisfação dos clientes, na agilidade no reparo dos caminhões e a rápida assertividade no diagnóstico.

A avaliação dos mecânicos começa antes do treinamento com testes de classificação para nivelamento dos participantes. Ao longo do curso são aplicados simulados teóricos e práticos. Um diferencial da DAF Academy é que os locais de treinamento sejam similares a uma oficina de uma concessionária da nossa rede, com caminhões, ferramentais DAF, ferramentas de diagnósticos e componentes do caminhão.

Ao final de cada curso os participantes aprovados são certificados pela DAF, e as informações de desempenho de cada um são incluídas no histórico curricular do mecatrônico (mecânico), permitindo a DAF saber quais cursos foram feitos por cada participante e também qual o desempenho individual. Esses registros também nos permite obter uma base de dados para identificar possíveis demandas de treinamentos”.

Marlon Maues, gerente de Serviços ao Cliente da DAF

 
LEIA TAMBÉM