Conheça as tecnologias e inovações de ponta para pneus de carga no Brasil

 

A queda de fornecimento às montadoras teve redução de 34% neste primeiro semestre em relação a igual período do ano passado, segundo dados da Anip, a Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos. De acordo com a entidade, as vendas totais de pneus em abril de 2016 ficaram em 1,05 milhão de unidades, o pior desempenho registrado desde dezembro de 2010, quando foram vendidos 1,8 milhão de pneus.

Apesar disso, o setor não deixa de investir em inovações para criar itens cada vez mais resistentes e econômicos. Confira os destaques!

Bridgestone

Pensando sempre em oferecer uma maior recapabilidade e um menor custo por quilômetro, a marca desenvolveu o pneu Firestone radial FD663II, indicado para uso nos eixos de tração e está disponível nas medidas 275/80R22.5 e 295/80R22.5. Tendo o seu antecessor como base para o desenvolvimento, o FD663II possui sulcos extraprofundos e blocos com barras de amarração, que proporcionam melhor desempenho e um desgaste mais lento e uniforme. Somado a isso, o pneu apresenta uma nova lateral e aparência mais moderna. Sua aplicação é perfeita para caminhões de longa distância e regionais.    


FIRESTONE FD663II

Outro destaque é a banda de rodagem BDMS1, que foi desenvolvida para aplicação mista em eixos de tração para caminhões rígidos. A fabricante investiu em tecnologia para que o composto ofereça sempre boas condições de recapabilidade e segurança. Segundo a Bridgestone, a BDMS1 tem menor geração de calor e maior resistência a cortes e picotamentos, o que contribui para a durabilidade da carcaça e maximização dos resultados operacionais da frota. Dentre os outros benefícios, estão a auto limpeza e o maior poder de tração. A BDMS1 já está disponível para comercialização nas medidas 230, 240 e 250 mm.

BDMS1

Continental

A marca oferece para o segmento de veículos comerciais a sua linha ContiHybrid, integrada pelos modelos ContiHybrid HD3, ContiHybrid HS3 e ContiHybrid LA3.

Produzidos na fábrica da Continental Pneus, em Camaçari (BA), os novos modelos foram desenvolvidos para atender as exigências severas de ônibus e caminhões que atuam no maior nicho do segmento de transporte no País: o regional e o de longa distância, que movimenta aproximadamente 3,3 milhões de pneus por ano e representa 82% do mercado.


Conti Hybrid HD3

Um dos destaques da linha ContiHybrid é o pacote de cintas reforçadas (Triangle Belt), que reduz os esforços nas laterais do pneu, ampliando sua durabilidade e conferindo maior precisão à condução, além de prevenir o desgaste irregular.


ContiHybrid HS3

A linha também possui o Air Keep Inner Liner, tecnologia exclusiva da Continental empregada na parte interna do pneu (inner liner) e que permite uma retenção em até 50% mais eficiente da pressão de ar interna. O resultado final é uma maior durabilidade e o aumento da recapabilidade da carcaça.


Conti Hybrid LA3

Dunlop

A marca japonesa anunciou recentemente que neste ano começará a construção de um novo prédio em sua área industrial no Interior de São Paulo para iniciar a produção local de pneus para o segmento de caminhões. Até este ano, a empresa importava sés produtos, como os pneus SP 391 e SP 431.


DUNLOP - SP 431

De acordo com a Dunlop, seu principal diferencial está justamente no processo produtivo. Por meio da tecnologia batizada de “Sun System”, a fabricação dos compostos é feita sem emendas, o que aumenta consideravelmente a qualidade dos pneus, resultando em uma rodagem durável e confortável, e melhorando o tempo de resposta em manobras devido à maior uniformidade do produto.

DUNLOP - SP 391

Michelin

De acordo com a Michelin, sua tecnologia X Core foi desenvolvida no Brasil e oferece maior resistência e durabilidade à carcaça dos pneus sem câmara. Isto ocorre por conta de reforços em três áreas do composto: no talão (área em contato com a roda), no topo (única área em contato com o solo) e na lateral.


MICHELIN X Multi T 275

O desenvolvimento também ocorreu no composto interno de borracha, que ganhou uma maior resistência a choques, perfurações e infiltrações, além de ter uma maior recapabilidade. Também no quesito durabilidade, vale o destaque para a nova proteção em nylon em volta do aro, que ajuda a evitar o aquecimento excessivo no talão do pneu.


MICHELIN X Multi T 295

Pirelli

Para os caminhões pesados, a Pirelli incorpora tecnologias que possibilitam maior rendimento quilométrico, elevada capacidade de reconstrução, maior robustez e segurança, além de economia de combustível e redução de emissão de CO2. O destaque fica pela versão Plus da linha FG:01 (medidas 295/80R22.5 e 275/80R22.5), que, além de todas as características da versão convencional, conta com elementos de proteção no fundo dos sulcos, que facilitam expulsão de pedras aumentando a durabilidade da carcaça. 

Pirelli - FG 01

A empresa também destacou neste ano a tecnologia Novateck, destinada a pneus de caminhões e ônibus, que oferece desenhos idênticos ao novo, garantindo maior durabilidade e redução de custos para o proprietário. Esta reconstrução só é possível graças ao projeto do pneu, que é feito levando em conta tecnologias que os tornam mais robustos, ampliando seu rendimento quilométrico e mantendo o desgaste de maneira uniforme.


Pirelli - FG 01

Goodyear

Lançados em novembro de 2015, os pneus KMax, formam a linha da Goodyear para caminhões e ônibus. Os modelos disponíveis são o KMax S, KMax D Traction e KMax Extreme.

Os produtos são voltados para as aplicações regional e regional severa.


Goodyear - Kmax Extreme 295-80R22-5

O desenvolvimento da linha KMax envolveu testes de rodagem com 19 frotas de vários Estados do Brasil, totalizando mais de 350 milhões de quilômetros rodados. O atributo principal da nova linha é a ênfase na maior quilometragem percorrida, trazendo melhor relação custo-benefício para as frotas comerciais, uma das principais demandas do segmento.

As inovações empregadas na construção dos pneus incluem a tecnologia Intellimax, que engloba, entre outros atributos, o uso de novos compostos, bandas de rodagem com camada dupla e sulcos interligados para máxima quilometragem. A linha também conta com a tecnologia Duralife, que fornece maior resistência devido à combinação entre otimização da banda de rodagem, construção da carcaça com quatro cintas estabilizadoras de aço e monitoramento constante da produção dos pneus.

Goodyear - Kmax S 295-80R22-5

A tecnologia RFID (identificação por radiofrequência) pode ser incorporada opcionalmente na construção dos pneus. O sistema permite a identificação eletrônica do pneu na frota por meio do Control Max, uma solução que proporciona o monitoramento, gerenciamento e controle completo de toda a vida útil dos pneus de uma frota. O sistema permite a coleta de dados de pressão de ar e profundidade de sulcos. E o controle eletrônico patrimonial via RFID pode ser acionado e gerenciado via internet, em tempo real, de qualquer lugar do mundo, por computador, tablet e celular.

 
LEIA TAMBÉM