Transpodata News
 
 

Dunlop de olho no segmento de ônibus

 

A fabricante japonesa de pneus Dunlop quer se firmar no mercado de reposição para veículos pesados. Além de começar a produzir equipamentos para caminhão no Brasil, a empresa vai iniciar as importações de pneus para ônibus urbanos. Rodrigo Alonso, gerente sênior de vendas e marketing, disse que a importação dos equipamentos do Japão deve começar este ano.

“Primeiro vamos testar o mercado de reposição para ônibus urbanos. Estamos em testes em seis concessionárias de transporte público para verificarmos a viabilidade econômica do nosso pneu. Ele é o único no mercado sem emenda e isso melhora o desempenho dos veículos com relação à durabilidade e o consumo de combustível”, disse Alonso.

O executivo ressaltou que a expectativa é importar 360 mil pneus de caminhão e ônibus este ano. “O segmento de ônibus urbano é muito sensível a custos, e ter um pneu que proporciona redução no consumo de combustível é o que os clientes estavam pedindo. Estamos testando os equipamentos em diferentes operadoras pelo país, para sabermos exatamente as necessidades dos clientes”, afirmou Alonso, acrescentando que em janeiro a Dunlop começa a importar, também do Japão, os pneus para ônibus rodoviário.

Fábrica para o caminhão – Alonso ressaltou que o início da produção de pneus de caminhão em Fazenda Rio Grande, no Paraná, está programado para 2019 e a meta é fabricar 150 mil equipamentos por ano, metade do que hoje a companhia importa do Japão. Foram investidos R$ 487 milhões nessa nova unidade. Hoje, a empresa já produz pneus para automóveis e tem na reposição o seu grande mercado. Fornecimento para montadoras representam somente 6% de sua linha de produção.

“Temos que nos firmar primeiro no Brasil e sentir o mercado. Por isso, vamos produzir metade do volume que importamos atualmente, isso dá cerca de 500 pneus por dia, o que dá 150 mil unidades por ano. É um volume considerável”, disse o executivo. Segundo ele, a Dunlop também está reforçando a sua rede vendas e deve fechar este ano com 240 lojas no Brasil sendo que deve inaugurar centros dedicados a veículos pesados nas capitais brasileiras. “Já abrimos seis Truck Centers no país e a ideia e aumentar esse atendimento. A nossa expansão na produção tem que ser sustentada por um bom serviço de pós-venda”, afirmou Alonso.

 
LEIA TAMBÉM