O Governo Federal anunciou hoje novas medidas voltadas para melhorias na condição de trabalho dos caminhoneiros do país. Essas mudanças têm como um dos objetivos, evitar situações similares a greve feita pela categoria no ano passado.

Entre as ações destacadas pelo governo, está a destinação de uma linha de crédito do BNDES – Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social – de até R$ 30 mil para caminhoneiros autônomos, e principalmente, os R$ 2 bilhões ao orçamento do Ministério da Infraestrutura, para serem usados na expansão e duplicação de rodovias federais.

Além disso, serão construídos locais de repouso para os motoristas profissionais, e a renovação da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) será obrigatória a cada dez anos – medida válida para motoristas de até 50 anos de idade). Lembrando que anteriormente, a renovação era feita a cada 5 anos.

Ao ser questionado de onde sairá a verba necessária para as mudanças citadas, e mais algumas, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni explicou que outras pastas realizarão uma divisão, e cada uma dará sua contribuição para verba necessária.

Já Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, negou que o governo tenha ficado “refém” das exigências dos caminhoneiros, e que as melhorias só foram desenvolvidas para uma evolução na condição de trabalho para profissionais do setor.

Mesmo com expansões como a da BR 163 sendo pleitos antigos, e que nunca saíram do papel, o ministro garantiu que o governo concluirá as obras prometidas nas rodovias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here